consultoria

consultoria

terça-feira, 4 de novembro de 2014

A IMPORTÂNCIA DA FAMÍLIA NA ESCOLA: A OPINIÃO DE PROFESSORES

Como dito anteriormente, família e escola como responsáveis pelo desenvolvimento humano e intelectual do aluno, objetivando seu desenvolvimento em todos os aspectos para o mesmo ter sucesso na aprendizagem e na vida. Elas devem ser parceiras no processo educativo das crianças, estabelecendo um canal de diálogo, pois precisam estar em permanente comunicação. Entretanto, considerando os processos de industrialização da sociedade e as transformações sofridas pelas famílias ao longo do tempo, percebe-se que cada vez mais se diminui o tempo disponível para a participação e presença da família na escola, pois com uma sociedade capitalista marcada por situações de injustiça e desigualdade que submete as famílias a lutarem com muita dificuldade para sobreviverem: a mãe precisa trabalhar fora, ficando ausente do lar por muitas horas e o pai dominado pela competição do mercado, dispõe de menos tempo para se dedicar à família e à educação dos filhos. Sendo assim, com o objetivo de avaliar a importância do acompanhamento familiar na escola, realizou-se uma entrevista com uma professora de 4º ano da rede municipal na cidade de Davinopólis no estado do Maranhão, no intuito de revelar a contribuição do acompanhamento dos pais no desenvolvimento do aluno. Analisando a fala da professora, que reconhece a importância da família para o desenvolvimento do indivíduo em todos os aspectos, nota-se que os pais não têm consciência de assumir um compromisso com a escola sendo necessário que o professor chame a sua atenção: São poucos os pais que se comprometem de fato com a educação do filho, geralmente na minha sala de aula eles são convidados a estarem acompanhando o desenvolvimento das crianças (Professora do 4º ano, janeiro, 2011). Desse modo, vê-se a angústia da professora em ter que se desdobrar como professora e mãe ao mesmo tempo, assumindo um papel que cabe aos pais, pois "as crianças estão indo à escola para ser educadas e algumas, para ser criadas [...]" (TIBA, 1998, p.23), aonde os pais nem ao menos auxiliam com as tarefas de casa, dificultando o trabalho da professora que sente dificuldade para oferecer a seus alunos uma educação de qualidade, uma vez que em sua sala de aula há crianças com diferentes níveis de conhecimento. Quando a criança é acompanhada pelos pais ela se sente estimulada a desenvolver-se cada vez mais aumentando sua produtividade buscando compreender, participar, interagir com as atividades que pensam interessantes, melhorando assim seu desempenho escolar, diferindo-se bastante das que não têm esse acompanhamento. Percebo que as crianças que são auxiliadas pelos pais, elas além de terem um bom rendimento escolar, se mostram mais ativas, alegres, prestativas, felizes melhor dizendo, enquanto que as que não têm esse privilégio o rendimento é bem inferior e o pior de tudo são crianças sem nenhuma motivação e por mais que o professor trabalhe essas crianças, fica nítido que falta alguma coisa (Professora 4º ano, janeiro, 2011). Diante do fato de que o interesse dos pais em acompanhar os estudos dos filhos é um dos principais estímulos para que eles estudem, a escola deve assumir o papel de convocar esses pais para discutir sobre a importância de sua participação através de reuniões regulares, para analisarem juntas estratégias para melhorar a aprendizagem dos alunos. Porém, há escolas que negligenciam esse compromisso, não disponibilizando esse espaço de diálogo. Geralmente esses encontros só acontecem quando vamos entregar as provinhas e boletins das crianças, então aproveitamos a ocasião para deixar os pais informados quanto ao desenvolvimento dos filhos (Professora 4º ano, janeiro, 2011). Diante do exemplo, fica claro que a educação é uma ação conjunta entre pessoas que colaboram e comunicam-se para que assim a ação educativa possibilite à criança a aprendizagem em todas as dimensões: social, cognitiva, afetiva, relacional e pessoal, indispensável para seu desenvolvimento sadio e para apreensão dos conhecimentos. A sociedade é formada por pessoas que se relacionam entre si. Para que esse relacionamento seja benéfico é necessário que as pessoas estejam efetivamente envolvidas em uma determinada situação dispostas a propor alternativas, procurar soluções melhores, a pensar e construir juntas. Nas instituições escolares para que esse envolvimento efetivo ocorra é necessário que seja realizado reuniões regulares entre os profissionais da escola e os pais dos alunos com o intuito de analisarem práticas e estratégias educativas que melhorem o desenvolvimento do aluno e a sua aprendizagem. Pois, "quando os pais participam das reuniões propostas pela escola, em geral o desempenho escolar de seus filhos melhora" (TIBA, 1998, p.164). Para que os pais frequentem as reuniões, eles precisam ser alertados pela escola a respeito da importância desses momentos no processo educativo dos filhos. Uma vez que, É tão importante a participação dos pais nas reuniões escolares que todos os meios para convocá-los são validos: recados na agenda, correspondência, telefonemas, e ?mail ou mesmo sistema ?boca a boca?. Cada escola pode utilizar o meio que julgar mais eficiente (TIBA, 1998, p. 164). Sendo assim, a escola deve fazer uso do meio de comunicação mais conveniente, levando em consideração as particularidades de cada família e a realidade sócio econômica de cada uma. Desse modo, vê-se a importância da participação dos pais em todos os eventos da escola, sejam eles esportivos ou culturais, contudo, faz-se importante a participação desses pais não apenas como convidados, mas também como promotores ou organizadores dos eventos para sentirem-se pertencentes à escola.

Nenhum comentário:

Postar um comentário